Palavras Domesticadas

Palavras Domesticadas

domingo, 11 de março de 2012

Reinverso - Ednardo


Reinverso (Ednardo)
Estou aqui
O mar não se abriu
Uma nuvem não revelou o caminho
A pedra não verteu água
E aqui não choveu o maná
E estou aqui
Teus olhos vararam meu corpo
De tanto fingir não me ver
Teus ouvidos ensurdeceram com o meu grito
E disseste não me ouvir
Juraste não sentir minha presença
E eu estava colado à tua pele
Ofegante e pulsando como na primeira vez
Estou aqui
E não poderá dizer que não
Minhas mãos escavaram o chão onde pisaste
Meu suor e meu sangue umedeceram essa terra
E agora estás totalmente grávida
De minhas palavras entrecortadas, porém ditas
De minha canção explodindo em jorros de minha garganta
De meu olho sempre te procurando no olho
De meu amor sempre tão próximo do teu ódio
E não poderás negar o rebento desse tempo
Eu estou aqui

4 comentários:

  1. Araguaia (Ednardo)
    Quando eu me banho no meu Araguaia
    E bebo da sua água sangre fria
    Bichos caçados na noite e no dia
    Bebem e se banham eles são comigo

    Triste guerrilha companheiro morto
    Suor e sangue, brilho do corpo
    Medo só
    Mas se o corpo desse pó é pó
    Um círio da luz dessa dor
    Violento amor há de voar

    ResponderExcluir
  2. Ednardo é mesmo um grande poeta.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Mais uma vez correlacionando...

    ;)

    Faltou "Cariri", mas, sendo essa instrumental...
    De qualquer forma, fica o registro.

    Lá: "O Grito Primal" com "Tears for Fears"
    Cá: "Reinverso" com "Cariri" e "Araguaia"

    Parabéns a você pelas excelentes postagens. Quanto a mim, tive um excelente professor!

    Abraço

    ResponderExcluir
  4. Obrigado pelas palavras, e parabéns também para vc e seu professor, seja ele quem for.
    Abraço

    ResponderExcluir