Palavras Domesticadas

Palavras Domesticadas

quinta-feira, 8 de março de 2012

Elvis, O Rei Rebelde


No dia seguinte à morte de Elvis Presley, os jornais noticiavam o acontecido, e traziam longas matérias sobre a vida, a carreira, o sucesso, o declínio, e tudo que envolveu a carreira de um dos maiores astros surgidos no show-bizz. Na edição de 17/08/77, o jornal O Globo além de noticiar a morte de Elvis, trazia uma crônica de Nelson Motta, sobre o ídolo desaparecido, quando o mundo ainda vivia o impacto da notícia. A crônica se intitulava "Elvis, o rei rebelde", e segue abaixo:

"Em cada guitarra que tocou alto e forte nas duas últimas décadas está a semente de Elvis Presley. Em cada corpo jovem que dança, liberto, estão os movimentos livres que Elvis deu a seu corpo, ao sabor do nascente rock'n roll. Em cada voz rebelde que desafinou o coro dos contentes está a voz rara de Elvis, capaz ao mesmo tempo de criar uma nova linguagem romântica e de estraçalhar as normas de bom comportamento musical. Nas bandas de rock pesado, no heavy metal, no punk. Elvis está presente com sua música simples, direta e irresistível.
Os jovens dos tempos do início de Elvis já dobraram os 40. Depois de sua juventude, muitas gerações de jovens já invadiram todos os terrenos proibidos, a partir da festa que ele proporcionou, através das portas que ele arrombou.
Proibido e mal visto no início, perseguido e acusado de imoral por sua dança, Elvis Presley manteve-se ao longo de mais de vinte anos de carreira como ídolo absoluto dos jovens do mundo inteiro e dele nasceram todas as principais correntes musicais que transformaram o rock num dos maiores fenômenos do nosso tempo.

O que era visto no início como uma nova moda, hoje é com certeza a grande partida para uma radical mudança de comportamento na juventude do mundo inteiro.
A música de Elvis, suas roupas coloridas, sua dança energética e sensual se transformaram em pouco tempo na linguagem comum de todos os jovens rebeldes do início dos anos 50. Seu aparecimeto marca a definitiva ruptura com os padrões tradicionais e - pela primeira vez - um gênero musical consegue se transformar em agente e veículo de uma violenta transformação no modo de vestir, pensar e agir de milhões de jovens.
Antes de Elvis muitos cantores e gêneros musicais fizeram grande sucesso. Mas só com ele a música popular conseguiu mais que ser ouvida e dançada - se transformou num movimento permanente e deu origem a todas as extraordinárias manifestações musicais que surgiram a partir do rock simples, primitivo e direto criado por Elvis num longínquo 1954.
Com Elvis Presley tudo começou. Misturando a country music americana tradicional com o rhythm and blues, ele criou o que seria o grande estopim e raiz de toda a música que sacudiu o mundo nas duas últimas décadas: o rock.
Com Elvis surgiu mais que um novo gênero musical; nasceu uma nova forma de comportamento para a juventude, com os blusões de couro, as motos, os topetes, as camisas coloridas, os jeans: os jovens tinham encontrado através dele uma linguagem comum, irreverente, alegre, simples e direta.
Com Elvis tudo começou. Sem Elvis, as guitarras estão mudas, e sem voz estão várias gerações que ouviram sua música.
Na memória dos jovens de todos os tempos Elvis termina como começou: rei absoluto."

Nenhum comentário:

Postar um comentário