Palavras Domesticadas

Palavras Domesticadas

sexta-feira, 25 de março de 2011

Titãs - Revista HV 1988


Os Titãs eram a minha banda favorita nos anos 80. Eu acompanhava atentamente todo aquele movimento que vinha acontecendo ainda no início daquela década, o surgimento de bandas que traziam um trabalho novo, revelando novos músicos, compositores e letristas de talento. É certo que como todo movimento que ganha a mídia, muita coisa ruim surgia na carona da onda do sucesso - as próprias gravadoras na busca de novos e rentáveis produtos para o mercado inventavam fórmulas, e apostavam em artistas fabricados. Mas o certo é que naquela década muita gente boa surgiu.
À princípio não me liguei muito no som dos Titãs. Seus dois primeiros discos passaram meio batido por meus ouvidos, mas em 1986, quando lançaram o histórico disco Cabeça Dinossauro, o som da banda deu uma guinada de qualidade. Aquele é um disco fantástico, e que merece entrar em qualquer lista dos melhores discos lançados no Brasil, e por sinal, entrou mesmo em várias que já li. Os discos que vieram a seguir mantiveram o nível de qualidade: Jesus Não Tem Dentes no País dos Banguelas, Go Back (ao vivo) e O-Blesq-Blom. O disco seguinte, Tudo Ao Mesmo Tempo Agora, já não manteve o mesmo patamar, mas mesmo assim traz bons momentos. Em seguida, já sem Arnaldo Antunes, a banda lançaria Titanomaquia, um disco radicalmente pesado, com produção de Jack Endino, conhecido produtor de bandas pesadas americanas.
Mas voltando a falar de sua fase áurea, em 1988 uma revista alternativa chamada HV (Humor/Verdade) trazia uma matéria de capa com a banda. Falando em capa, a revista trazia uma capa dupla, que aberta, como na foto que abre essa postagem, mostrava uma foto com todos os até então, oito integrantes do grupo.

A matéria trazia 20 depoimentos sobre a banda, como algumas dessas abaixo:
"Os Titãs são o melhor grupo de rock deste país. Eles compreendem o que é essencial para que um rock seja a alquimia da mistura da imensa tristeza que nos envolve com um pouquinho de alegria. Alguns críticos e gravadoras pensam que os grupos de rock como os Titãs, Inocentes, Legião Urbana, Lobão, etc. são descartáveis. Eles são anarquistas de um novo anarquismo. No sentido do pacifismo, da descentralização, onde a extrema hostilidade da disputa pela existência seja substituída não pela concordância e pela uniformidade do tédio, mas sim pela instalação de um suspense maior, em que cada segundo seja supercarregado de emoção, tesão, ardor e... beleza." Jorge Mautner
"Eu acho os Titãs o máximo. O Sérgio Brito é atualmente um dos melhores cantores do Brasil. Além disso, não tenho mais nada pra falar, pois a música deles já diz tudo." Renato Russo
"A partir dos dois últimos trabalhos dos Titãs é que eu passei a tê-los como a minha number one. Principalmente pelas letras, pois a música me lembra bastante o punk dos anos 70, mas isso não deprecia de forma alguma o trabalho musical do grupo. Explico: bandas como Gang of Four ou Buzzcoks hoje são praticamente a bíblia de quem quer fazer rock'n roll. É como se você tivesse de ouvir James Brown e Aretha Franklin pra falar de música negra."
Kid Vinyl
"Eu adoro. É uma banda de afinidades culturais especiais. E é por causa dessas afinidades que a banda se formou. Eles não tocam rock simplesmente por tocar."
Ivald Granato, artista plástico
"Eu gosto tanto dos Titãs que já comprei o disco e um dia pretendo ler o livro e ver o filme."
Washington olivetto, publicitário

3 comentários:

  1. gostaria de saber qual é a editora dessa revista hv tem como ver isso pra mim

    ResponderExcluir
  2. Nada disso Sr Winston(Washington)Era Homen Vogue MESMO!

    ResponderExcluir
  3. Cara Celia,

    Tenho 24 edições da revista, iniciando pela número 1 e o reinício (nova numero 1) após interrupção por plano econômico. Estou vendendo...ricardo_barbedo@hotmail.com

    ResponderExcluir