Palavras Domesticadas

Palavras Domesticadas

sábado, 14 de agosto de 2010

Mais um verão brasileiro para Cat Stevens


A revista Rock, A História e a Glória nº 14, de janeiro de 1976, trazia uma entrevista com Cat Stevens, que mais uma vez visitava o Brasil. Fã confesso de nosso país e de nossa música, Stevens na entrevista feita pelos jornalistas Ana Maria Bahiana e Okky de Souza, revela sua admiraçao por Gal Costa,Gilberto Gil, Caymmi e Milton Nascimento. Milton, por sinal, seria homenageado por ele na música Nascimento, de seu disco Buck To Earth, de 1978, o último que ele lançou antes de se converter ao islamismo, dar uma longa pausa em sua carreira, e adotar o nome islâmico de Yussuf Islam. Abaixo trechos da matéria:

O caso de amor entre Cat Stevens e o Brasil não é recente. Há mais de três anos ele visita o nosso país com regularidade, seja para passar férias entre a praia e os bares da moda, seja para encontrar a paz necessária ao seu trabalho. Já no ano passado, Cat alugou por três meses a casa de Odete Lara, na Joatinga, Rio de Janeiro, onde se isolou para fazer seu mais recente LP, Numbers. Em 1974, ele foi à Bahia, Manaus e Brasília durante o carnaval, acompanhado de Joni Mitchell e Leon Russel.
ROCK- Por que você sempre escolhe o Brasil para passar as férias?
CAT STEVENS- Em primeiro lugar, porque adoro o país e me sinto inteiramente à vontade aqui. Sabe, o Brasil já faz parte do meu sangue. É um lugar importante para mim. Além disso, tem a música. Esse país inteiro canta, e canta alto. Acho sensacional o movimento que os jovens estão fazendo na música brasileira. Tenho certeza que algo muito novo e importante vai surgir daí.
ROCK- E como você definiria essa nova música brasileira, que você afirma estar surgindo?
CAT- Seria uma reunião de vários elementos: o rock, que fornece a simplicidade, o jazz, que elimina as barreiras e limites e o samba, que fornece o ritmo e as raízes.
ROCK- Quais os músicos brasileiros que você mais curte?
CAT- Acima de todos, Milton Nascimento. Gosto de tudo que ele faz. O Clube da Esquina é um disco fantástico, assim como o Milagre dos Peixes ao Vivo. Adoro também o último de Gil, Refazenda. Gal Costa foi a minha primeira paixão na música brasileira, através de Índia. E tem também Dorival Caymmi, que é extrordinário.
ROCK- O que você acha dos grupos brasileiros de rock? Conhece algum?
CAT- Acho que conheço só um... Secos & Molhados, era o nome, se não me engano... e eles acabaram, não é? Eu não consigo imaginar muito um grupo brasileiro de rock, porque acho que aqui as pessoas gostam mais de cantores solo, apreciam mais a personalidade de quem compõe e canta. Ou então é a multidão cantando... mas grupos, eu acho que não têm muito a ver com o Brasil.
ROCK- Você acha que o rock está sendo enterrado vivo pelas artimanhas de empresários e promotores?
CAT- Não, a música não está sendo enterrada viva, o lado empresarial da história é que está se enterrando. Uma empresa sempre acaba por se matar. É como um monstro que come demais e depois fica doente. Mas a música é espírito, é uma flor que cresce em qualquer lugar, em qualquer rocha, em qualquer monstro. A técnica empresarial é que está ficando cada vez mais complicada e matando a si própria.
ROCK- Porque você se chama Cat? (Seu nome verdadeiro é Steve Georgiu)
CAT- Um dia alguém me chamou assim e eu gostei tanto que ficou sendo meu nome. Adoro gatos. São independentes, flexíveis, detestam obedecer, medem com cuidado cada passo. Tenho muitas afinidades com os gatos.

13 comentários:

  1. Márcio,
    Adorei ler sobre um artista tão desconhecido dos jovens de hoje em dia...
    Tenho 31 anos e cresci ouvindo os vinis do meu pai, assim posso dizer que Cat Stevens sempre foi uma presença constante na minha vida.
    Ótimas lembranças ao ler estas linhas!

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Alexandre, vc teve a sorte de ter conhecido, através de seu pai, o som de Cat Stevens. Devido à sua conversão para o islamismo, Stevens abandonou por longos anos a carreira, e acabou ficando esquecido. Sua obra é riquíssima, e merece ser hoje mais conhecida.
    Obrigado pelo comentário.
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Conheci a canção On very young na decade de 70, recente buscando por ve-la no Youtube acabei encontrando outras e me encantando com o trabalho desse gigante da musica de nossos tempos, tenho buscado tudo sobre ele, seu trabalho, seu retorno e a estréia do musical Sombra do Luar na Australia em 31 de maio 2012, gostaria que todos conhecessem a beleza de suas canções, ele realmente compoe e canta a vida, pena a pobreza da musica atual.

    ResponderExcluir
  4. A música de Cat Stevens deveria ser mais conhecida pelas novas gerações, Nilza. Felizmente hoje é fácil se pesquisar sobre músicos que se destacaram no passado, e andam esquecidos. Um abraço

    ResponderExcluir
  5. Obrigado pelas palavras. Fico feliz que vc seja uma leitora de meu blog. Abraço

    ResponderExcluir
  6. Muito obrigada por compartilhar isso! Amo Cat Stevens/Yusuf. Estou esperando ansiosamente por um show dele no Brasil, que provavelmente será neste ano. (:

    ResponderExcluir
  7. Obrigado a vc por visitar meu blog. Também aguardo a visita de Stevens ao Brasil.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  8. Agora em novembro, ele vem para cantar e tocar
    pela primeira vez no Brasil.

    ResponderExcluir
  9. Este é o melhor,ele é fiel a Brasil e ama verdadeiramente!
    2014

    ResponderExcluir