Palavras Domesticadas

Palavras Domesticadas

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

O Grito Primal


Um livro bastante interessante é O Grito Primal, do psicólogo americano Arthur Janov. Tomei conhecimento da Teoria do Grito Primal, desenvolvida e aplicada por ele, através de John Lennon, que se submeteu a essa terapia para se livrar de traumas de infância, como o abandono do pai, problemas mentais de sua mãe, e a morte dela por atropelamento após voltarem a se verem com mais frequência já em sua adolescência - ele fora criado por sua tia, Mimi. Como o próprio nome diz, essa terapia é baseada no uso do grito, como uma forma de expulsar traumas. Os reflexos desse tratamento em sua música ficaram explícitos em duas de suas músicas: Mother e Cold Turkey, em que ele ao final, vai soltando a voz gradativamente, até explodir em gritos selvagens.
O livro foi lançado em 1970 nos Estados Unidos, e em 1974 no Brasil. A edição que tenho eu adquiri em 2002, na segunda Bienal do Livro de Campos por módicos 7 reais.
A obra esclarece ao leitor vários pontos básicos da teoria, e faz relatos de vários casos em que a terapia foi usada com sucesso. Um dos pontos básicos da teoria é a localização das Dores Primais e suas origens. "As Dores Primais vão-se armazenando uma a uma em lâminas empilhadas de tensões que procuram libertar-se, mas isso só pode acontecer desde que haja ligações com suas origens. Não será preciso reviver cada incidente, mas é preciso que exista a sensação geral ligada aos acontecimentos".
Sobre a relação paciente x terapeuta, o livro diz: "Na Terapia Primal o paciente é um aliado. Sua Dor (sempre grafada em maiúscula) já esperou tanto tempo que, geralmente, deseja vir para a superfície."
Logicamente, um profissional da área tiraria maior proveito da obra, que tem 427 páginas, mas eu, como leigo no assunto, achei uma leitura interessante e agradável.

8 comentários:

  1. Pensei sempre que o GRITO PRIMAL seja relacionado a uma dor sofrida na primeira infância do nascimento até a melhor concientização pela linguagem

    ResponderExcluir
  2. Correlacionando...

    "Tears for Fears"

    ;)

    ResponderExcluir
  3. É um ótimo livro, mesmo para pessoas leigas em psicologia, como falo no texto.

    ResponderExcluir
  4. ESta parecendo mais um artificio para escritor ganhar dinheiro com livro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito cômodo atirar pedras na vitrine. Difícil é esculpir pacientemente a vitrine (dedicar anos de estudos com vistas a tentar entender o imbrincado ser humano, e ajudá-lo em suas mazelas interiores), dar a cara à tapa (sujeitar-se às críticas) e ainda ser acusado de querer vender...
      Bom, mas cada cabeça uma sentença, cada um diz o que quer...

      Excluir