Palavras Domesticadas

Palavras Domesticadas

domingo, 10 de junho de 2012

O Pensamento de Taiguara

Taiguara foi um de nossos mais inspirados e talentosos compositores, além de ter sido um intérprete dos melhores. Sua carreira, apesar de poder ser considerada vitoriosa, por ter sido reconhecida e elogiada, além de ter alcançado sucesso popular, foi um tanto conturbada. Por ser um artista dos mais engajados politicamente na época da ditadura, foi um dos mais perseguidos pela censura, tendo mais de cem de suas músicas vetadas. O caso mais conhecido é a proibição arbitrária de seu disco Imyra, Tayra, Ipy. Esse disco é uma verdadeira obra-prima, trazendo músicas inspiradas, grandes músicos e arranjos, porém teve proibida sua comercialização dias depois de ser lançado, e até hoje, mesmo após o período de ditadura, ainda não pode ser relançado no Brasil, por problemas judiciais, já que os direitos do fonograma pertencem legalmente a uma editora japonesa, que não libera o lançamente da obra em nosso país. Nem suas herdeiras conseguiram até agora recuperar esse tesouro, numa luta judicial que se arrasta há anos. Taiguara morreu em fevereiro de 1996, aos 50 anos. Abaixo alguns exemplos de seu pensamento: "O Tropicalismo nos iludiu. Concordei com tudo aquilo, lutei junto, apesar de ser cantor da área popular, sem condições de fazer determinadas inovações. No LP 'Viagem' cantei com o Som Imaginário. 'Geração 70' assume todos os anos 70 e suas guitarradas. Mas eu pensava que esse pessoal queria levar a tecnologia pra nossa música, trazer a contribuição de uma filosofia existencial mais libertária pra nossa música. Não integro o batalhão nacionalista: 'NOSSA MÚSICA!' Sou patriota e internacionalista. Não, a partir de determinado momento, as guitarras que Caetano tinha colocado a serviço da marcha-rancho 'Alegria,Alegria' viraram uma tentativa de rock brasileiro. Um monstro." "Não foi a juventude que procurou a droga, foi a droga que procurou a juventude. Nós importamos essa alienação. Diziam que a droga libertava, revelava um lado novo do ser humano, mas só tenho a dizer que só existe um lado que ela revela: um lado ilusório, de mais cores e mais sons. Aguça a sensibilidade pra experiências sensoriais, e só. A droga não liberta, não faz nada por nunguém. É um mecanismo do imperialismo para calar a juventude, incentivado e financiado pelo fascismo. A droga corrompe, em promeiro lugar, os policiais. Em todos os países, há amigos do setor intelectual da droga, e são eles que tomam conta das bocas de fumo e de ácido, para que a juventude continue nessa. É a maneira de calar os melhores filhos da juventude." "Não tenho nada contra os intelectuais. São caras sérios, respeitáveis que podem até ter um problema de classe, mas que podem ser seres mais sabedores, conscientes, afinal, não estudam a consciência? Qualquer trabalhador que carrega um saco no cais do porto pode dar um murro mais forte na minha cara do que eu na cara dele. O músculo ganha força carregando sacos. Assim o verdadeiro intelectual fortalece seu intelecto, não se torna um homem perdido. O bom intelectual que come peixe pra fortalecer o cérebro - intelectual sabe que peixe tem fosfato - se sabe que existe uma ditadura denuncia. Salve os intelectuais! Hão de, junto com o proletariado, promover a revolução brasileira!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário